Haddad deve fazer todos os gestos; serem aceitos ou não é outra coisa

Está clara a necessidade de formação de uma frente contra a ascensão do autoritarismo no país.

Se isso será possível ou não depende menos de Fernando Haddad do que dos demais agentes políticos.

É uma obviedade que ele não é um imprudente, que deseje dar um “cavalo de pau” nas regras econômicas.

E que nem o PT, com pouco mais de 10% da Câmara e menos que isso no Senado possa meter-se em alguma aventura legislativa.

Não desenha, portanto, nenhum projeto “petista” de poder e vai negociar cada passo. Fez isso expressamente em relação a Ciro Gomes, inclusive oferecendo um programa comum.

É Bolsonaro quem sinaliza um projeto imperial e tem os meios e a força para tentar colocá-lo em prática.

Quem, diante da perspectiva de sua eleição, ficar “neutro” corre o risco de ser tragado por um fracasso retumbante de um governos em estruturas políticas e dominado por um chefe cheio de poder e sua”entourage” cheia de ambição. Além de uma família “lotada” de poderes dados pelas urnas.

Portanto, na montagem do 2° turno, a decisão está mais com os candidatos – e eleitores – de centro, de saberem que tipo de risco querem correr e, sobretudo, dos riscos a que estão dispostos a lançar o país, com um “imperador da  extrema direita”.

À esquerda, paciência com as puerilidades de quem não entende que, diante de uma ameaça às liberdades, é possível ir de borzeguins ao leito nesta necessidade de união.  O PSOL, com maturidade, não entrou nessa e já anunciou seu apoio a Manuela D’Avila e Fernando Haddad.

Parecem claras duas coisas na entrevista que este concedeu em Curitiba.

Uma, que ele quer e se abre para esta grande concertação democrática, sem que ninguém seja obrigado a, por isso, assumir a defesa de Lula, o que lhe foi dito pelo próprio ex-presidente.

Segundo, que a sua campanha na TV será regada a povo, a debates (ou desafios para) e a projetos concretos, algo que falta a Bolsonaro.

Assista a entrevista de Haddad.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

  1. Valter Pomar, burocrata do PT, já publicou artigo no site 247 detonando a formação de uma frente democrática. Para esse dirigente (que não tem voto popular) trata-se de uma “abstração”. Para esse sujeito, os sindicatos e os movimentos sociais elegem Haddad. Se esse sectarismo prevalecer, será a repetição do mesmo erro e a assunção do fascismo.

  2. Como “10% na Câmara”? 6 governadores, 70 deputados federais (A maior bancada por sinal) e Lula transfere a Haddad quase 30% dos seus 40% votos em apenas 24 dias! Isso sem falar que desde 1982 o partido é sistematicamente demonizado pela mídia.
    Apesar do crescimento importante de outros setores da esquerda ainda não está colocado num horizonte próximo o fim do protagonismo “petista” no campo da esquerda.Se os novos contatos com o campo progressivo, nitidamente o psol e o pdt, e até conversas com o psdb se traduzirem em apoio, será ótimo, principalmente para o país. Claro que eles virão com reivindicações, mas Haddad é do PT e sua comprovada ética reconhece que foi Lula que transferiu tantos votos num espaço de tempo tão curto.

  3. Vamos lá. Estou gostando dessa estratégia. Todo esforço nessa candidatura. Ele deve lembrar o passado glorioso de Lula, sim, e mostrar suas propostas. E confrontar com Bolsonaro. Se possível, pode ter programas com Ciro, Boulos, FHC, Chico Buarque, Gilberto Gil, Atores Globais e até Padin Pade Serra e Reinaldo Azevedo pedindo votos para Haddad. Tudo para derrubar o coiso.

  4. Sereno e assertivo. Vamos a luta pois quem está com a tranquilidade de lidar com os propósitos mais nobres não tem o que temer!

  5. A última semana do primeiro turno foi caótica para a esquerda e só consigo atribuir isto à entrada do bispo Macedo. Alguns blogs chegaram a ridicularizar este apoio, quebraram a cara. Metade do nosso país está tomado, alienado, escravizado mentalmente por várias “doutrinações”, desde a religiosa até a midiática. É assustador compreender o que está em jogo neste segundo turno. Simplesmente o futuro, o bem estar e as próprias vidas das gerações atuais e das próximas décadas.

    1. É lindo de ver quando uma pessoa está conseguindo sair da alienaçao religiosa.
      Minha mãe está nesse processo. Ela por mais de trinta anos frequenta igrejas neopentecostais. Primeiramente a universal, após “perceber” a podridão dessa, pulou nos braços da mundial do valdomiro. Só que, como diz brito, bolsonaro foi overdose pra ela. Claro que, desde o ano passado quando eu decidi parar de frequentar essas igrejas, venho conversando sobre o verdadeiro cristianismo. Mas foi o bozo que deu o clique, e ela hoje já pensa que lá não é lugar de Deus. Algo impensável de sair da boca dela antes do início dessa campanha. Ela ainda frequenta a mundial e me relata que o “pastor” espuma de ódio para induzir os membros a votarem no coiso. Ele conta mentiras e ofende o pt. Tudo implicitamente.
      Depois de presenciar isso tudo, tive mais certeza que conversar funciona e desaliena. Temos q ter paciência q vale a pena.

    2. Meu amigo, pelo menos aqui no sertão baiano, as igrejas evangélicas já vinham pedindo voto para a Besta abertamente. Os especialistas em pesquisas falam em “maioria silenciosa”, umefeito que talvez possa explicar isso melhor

    3. O Coiso pode até ganhar mas nunca levará de verdade. O cara vai ser triturado pelos milicos de um lado, as máfias da política no congresso e o mercado e cia de outro. COISO é uma marionete q sabe estar indo para o matadouro tbm. Se Haddad perder terá sido ainda assim vencedor. Descobrimos q o Brasil é um país q tem ódio de si mesmo. Estarei de mudança para Marte.

  6. Temos que ter confiança e pelo menos tentar esclarecer o povo do perigo de um governo fascista. não podemos nunca desisitir.

  7. Se entrarmos na campanha do segundo turno com a “grandeza de espírito” que o Paulo Henrique Amorim demonstra, estamos ferrados. Rsss
    Pra ele o Bolsonaro só perde pra si mesmo. Vai ser otimista assim no inferno.

    1. Ele está com encosto de um corvo. Precisa ir para Salvador tomar um banho de arruda com sal grosso. Ma eu gosto dele e as suas reflexões tem pertinência. rs

  8. ALGUÉM JÁ DESCONFIOU DE FRAUDE NAS URNAS? LEMBRAM-SE DA DECLARAÇÃO DO BOLSONARO, CASO NÃO VENCESSE AS ELEIÇÕES? E DOS ERROS DO IBOPE E DO DATAFOLHA EM RELAÇÃO AS ELEIÇÕES PARA SENADORES? SÓ ACERTARAM PARA PRESIDENTE? SEI NÃO…SE A DIFERENÇA FOSSE OS SETE PONTOS QUE O VOX PUBLICOU…

  9. Haddad já imita Dilma em 2013, desistindo da constituinte. Com ESSE congresso aí dizer que vai aprovar reforma fiscal com emenda, também é algo para se pensar. Enfim, isso são detalhes, o importante é HADDAD 13 JÁ

    1. Não é o ideal, mas melhor perder os anéis que os dedos.Se ganharmos, é hora de pensar em um think tank e ganhar essa juventude que esta com a mente cheia de fake news.

  10. Eu me pergunto e pergunto a todos os leitores: o PT foi de fato um partido de esquerda quando governo? Mesmo para um padrão, digamos, americanos. O que está em jogo é a integridade do Brasil e seu povo como nação. Bolsonaro é um Talibã ou Daech do ocidente, tal qual esses grupos do Oriente Médio e Paquistão, que são financiados pelo ocidente e Arábia Saudita. A Síria está mais próxima de nós do que a Venezuela.

  11. Se o pior acontecer, isto é, se o filhote do ovo da serpente fascista chegar à Presidência, será que vai haver tráfico de influência no Palácio do Planalto, hein? Será? Será?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.