Morte de vacinado por suicídio exige demissão da direção da Anvisa

O laudo do Instituto Médico Legal de São Paulo determinando que foi suicídio a causa da morte do voluntário que participava dos testes da Coronavac, a vacina chinesa que está sendo testada pelo Instituto Butantã torna obrigatória a cassação imediata do mandato de toda a direção da Agência de Vigilância Sanitária.

Não é possível, senão por má-fé, um suicídio como efeito colateral de uma vacina.

Tomar, para favorecer a exploração política de Jair Bolsonaro, uma decisão gravíssima sobre os testes de uma vacina que pode salvar milhares de vidas para ajudar na briga polírtica com o governo de São Paulo é, numa palavra, criminoso.

Daqui a pouco isso estará nos jornais de todo o mundo, expondo o país à vergonha e o governo à certeza de que não há limites em sua insânia politiqueira.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *