Na Al Jazeera, Lula diz que Bolsonaro quis golpe, mas recuou

Reproduzo, abaixo, a entrevista de Lula à emissora árabe Al Jazeera como jamais foi chamado a falar numa televisão brasileira.

Durante 25 minutos, ele fala à repórter Teresa Bo, correspondente da emissora na América Latina. sobre a pandemia, sobre o governo Bolsonaro e sua cloroquina – pelo que, diz ele, o atual presidente acabará sendo responsabilizado – e sobre a interferência dos EUA na América Latina, apelando à fermentação de golpes para impedir um desenvolvimento soberano da região.

Sobre Bolsonaro, diz que “ele chegou a pensar em ser um ditador neste país”, mas que “a sociedade reagiu” e que o atual presidente vai ter de aprender a respeitar seus adversários.

Assista, faz tempo que não vejo Lula numa entrevista tão positiva e cheia de energia.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

3 respostas

  1. Minha nossa, este homem é um GIGANTE!!!
    Qualquer estrangeiro que SINTA o calor da indignação das suas palavras (mesmo em português) vai sentir o PESO do que as legendas tentam traduzir de sua fala…
    A parte final sobre a Venezuela e o Trump é INIGUALÁVEL…
    Se os outros meios repercutissem minimamente seria devastador…
    Mas em certo modo a Al Jazzera é tão maldita no mundo da mídia quanto Lula e o PT no Brasil.
    Ela provavelmente será ignorada pela “mídia ocidental”…

  2. O Jair continua a querer ser ditador, jamais deixaria de sonhar com isso. Seu estofo ideológico é uma síntese entre duas correntes: o pensamento dos militares de extrema-direita, internamente, e o projeto de destruição dos estados nacionais do Olavo e do Steve Banner, externamente. Ambas estas correntes desejariam empalmar o poder absoluto, mas têm falhado estrepitosamente. Quanto à última corrente, o brazilian timing não ajudou, e o visível desleixo de governança forçou um maior crescimento e protagonismo tanto do legislativo como do judiciário e da mídia, que culminaram com o desbaratamento do esquema vital de propaganda bolsonarista. E quanto à primeira corrente, o fracasso do golpe na Venezuela, quando as Forças Armadas de lá não aderiram à ridícula revolução do Guaidó, desmoralizou as previsões militares americanas que eram tidas como sagradas e infalíveis. Isso tirou o chão sob os pés dos radicais militares. Não obstante, Bolsonaro com toda a certeza acredita que vai haver recuperação e ainda será ditador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *