Um canalha sobe 5.000% o preço de remédio nos EUA. Aqui, “mal” é o médico cubano grátis

canalhinha

 

A matéria é o insuspeito Brasil Post, associado da Abril e o assunto está rodando na internet.

 

Os direitos de exploração nos Estados Unidos do Daraprim, droga utilizada no tratamento de malária e de infecções oportunistas da Aidsa  foram comprados em agosto pela Turing Pharmaceuticals, startup dirigida por Martin Shkreli, ex-operador de ações de alto risco de 32 anos.

 

O preço do comprimido passou de US$ 13,50 para US$ 750, ou R$ 3 mil.

 

Segundo a Forbes, Shkreli ” é o homem mais odiado na América”, mas ele afirma não se importar.“A reação da mídia não é algo que eu levo muito a sério. Metade do país não gosta de empresas farmacêuticas. A outra metade do país não se importa “

 

Aqui no Brasil, país arcaico, atrasado, cheio de marcos regulatórios e intervenção do Estado, e controla (mais ou menos) o preço dos medicamentos, o Daraprim custa, em caixa de 100 comprimidos,  R$ 7 — sete centavos por pílula –, o que corresponde a 0,002% do preço de um comprimido americano, segundo informa a repórter Ione Aguiar, do Brasil Post. E não há planos de subir o preço, porque a patente, aqui, não pertence ao “mauricinho”.

 

O assunto explodiu depois que, três dias atrás,  o The New York Times fez uma matéria sobre os aumentos gigantescos de preço e sobre um tweet de Hillary Clinton que chegou a derrubar as ações das farmacêuticas na bolsa Nasdaq.

 

Aqui, a historinha sai sem destaque. Escarcéu, mesmo é para programa como o Mais Médicos, que deu atendimento a milhões de pessoas que não tinham nenhum, contra as carências do SUS e desprezo total pela pesquisa e produção de fármacos da Fiocruz e por sua luta para tornar a saúde uma concepção integral e não um monte de nichos lucrativos de mercado – remédios, planos privados de saúde e a ideia de que boa medicina é apenas alta tecnologia, como diz o o sanitarista Paulo Buss, coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fundação:

 

– Não interessa a alguns grupos que o Estado tenha força para intervir em absurdos como o acesso à tecnologia apenas a quem pode pagar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. Livre mercado, neoliberalismo, monopólio, financiamento privado, empresas de insumos básicos privatizadas…. Ótimos exemplos… Tucanistao o diga…

    Nos EUA não existem favelas, mas tem muitos”trailer parks” e bem escondidos; mas eles são muuuuuuuito melhores????!!

  2. Mas os coxinhas não estão de malas prontas pras Miami…o Lobão pelo que prometeu…parece que já está lotando as casas de espetáculos por lá! Falta o Rei Azevedo, o Globo Jabor…é bom assim vai limpando a área.

    1. Lá eles vão ser recebidos como heróis. Um Pais que sobrevive da venda de armas de guerras patrocinadas por eles mesmos, bandido é herói. Tá certo, que limpem a área.

  3. O custo de vários produtos tecnológicos antes eram 70% mais baratos nos eeuu. Com o estouro de consumo aqui a diferença caiu para 30/35% . Ainda é muito, mas se o compras voltarem a subir os preços tendem a cair.

  4. Qual é o braço de tanta safadeza no Brasil? O PIG (Globo e congêneres)
    Trabalha dia e noite mentindo, distorcendo os fatos, inseminando ódio, abduzindo mentes, fazendo gato e sapato da massa humana incapaz de sair da camisa de força mental em que segue manietada e aprisionada. O PIG trabalha exclusivamente para os seus donos, seres maus, que consideram todos os que estão sob a sua “jurisdição” como excremento a ser usado em compostagem. E os empregados do PIG, aqueles que são regiamente pagos para desconstruir o pouco pensamento que resta em cada cidadão mal informado, os pretensos (de)formadores de opiniões, mercenários da noticia, aqueles ditos cujos salafrários que completam a patota de pistoleiros de reputações e que se acham os donos do pedaço e reis da cocada preta, são eles piores do que os seus patrões, como dizem o Mino Carta e o PHA. Em suma, aqui no Brasil o maurícinho teria que reservar uma fatia da grana que arranca do desespero dos doentes para entregar ao PIG com a função de esconder o malfeito.

  5. Quando um pateta declarado faz uma critica correta significa que – entenda bem – de tanta clareza até o pateta entendeu. A questão dos juros altos está bem explicitada por Beluzzo e sra. Fatorelli e muitos outros. Sao contundentes. Nao fazem baixar a inflaçao, provocam recessao e aumentam inexoravelmente as dividas indexadas. Nao defendo essa desgraça.Parece acordo direto de banqueiro com o BC à revelia do governo.

  6. Estados Unidos só é melhor que o Brasil nesses filmes lavagem cerebral de Hollywood.

    Está na hora dos filmes de Bollywood invadirem os nossos cinemas. Afinal, fazemos parte dos BRICS.

    1. É a razão dos nossos assaltantes fazerem o que fazem, afinal, a matriz é o melhor modelo. Já dizia o coronelzinho baiano : O que é bom para os EUA, também é bom para o Brasil. Peleguinho ordinário de marré. E este crápula já dizia isso nos anos 40 e 50 . Ehhhhhh…!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.