Vídeo mostraria Bolsonaro apavorado com investigação. Qual?

Mais cedo, foi dito aqui que o depoimento do ex-diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo, esvaziava a narrativa das pressões de Bolsonaro sobre Sérgio Moro e que ao ex-ministro restava apenas o vídeo da reunião ministerial.

Agora, ao que narram pessoas que o assistiram, este mostraria um presidente irado com o fato de que investigações em andamento buscariam “prejudicar a minha família” e seus “amigos”.

E que isso, o fez bradar, em bom som, que trocaria o superintendente do Rio, ou o diretor geral ou até o próprio Ministro da Justiça.

Se é isso, bem, agora temos um crime, porque há um motivo ilegal para explicar a atitude de Bolsonaro.

Até aqui, o que havia o que em direito de um “ato administrativo discricionário”, ou seja, o que é do livre arbítrio do governante, como são as nomeações e exonerações dos seus auxiliares.

Mas, se a escolha (e o afastamento) é livre e independente, deixa de sê-lo quando a motivação do ato fere as normas legais e, neste caso, a determinação constitucional de impessoalidade (art. 37 da CF).

Se Bolsonaro, de fato, diz isso, não haverá alternativa ao Procurador Geral da República senão a de denunciá-lo por prevaricação.

Mas resta uma questão, caso isso se confirme pela exibição ou transcrição o vídeo: quais eram as investigações que preocupavam Jair Bolsonaro estariam “prejudicando” seus familiares e amigos.

Nem Moro, nem Valeixo, nem o chefe da PF no Rio, Ricardo Saadi, em seus depoimentos, disseram uma palavra sobre isso.

Era alucinação do presidente? Evidente que não, todos sabiam e não tinham o direito de calar. Os delegados, como depuseram como testemunhas e não como investigados, não poderiam ter calado a verdade, mesmo que se dessem por impedidos de detalhá-lo para não prejudicar investigações em curso.

No depoimento dos generais palacianos, hoje, saberemos se Moro tentou chantagear o governo, ameaçando contar as razões de sua demissão – ele não foi demitido, demitiu-se – deixando o presidente em apuros se não pudesse escolher o novo diretor geral, usurpando competência do Presidente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

  1. Apenas mais um crime, pomposos figurantes dirão ser crimes irrisórios, mas na verdade é apenas mais um. Penso que quem açoite criminoso, criminoso também é. A justiça deverá a seu tempo, e teremos que ter paciência, que condenar a todos. Anistia nunca mais.

  2. Exatamente ! E mais, se ninguém falou nada sobre as investigações, o Bozo pode dizer que eram realmente perseguições políticas contra sua família, armações que estavam preparando. Eu acho que crime seria se ele declarasse o que temia, mas isso ninguém falou.
    Não será com MEIAS verdades que vão detonar o governo. Ou joga tudo no ventilador ou não dá em nada.

    1. Concordo. O que foi dado a conhecer é insuficiente para arrancar Bolsonaro da cadeira. Mas pode haver outra expectativa ligada a essa lenga-lenga de reunião que se arrasta de modo a obrigar todo o governo a pedir cabisbaixo a bênção ao Supremo. E é nessa outra expectativa que Moro joga suas fichas, já que é de seu feitio trabalhar de parceria com o poder de julgamento da mídia.

      Moro espera que haja a divulgação integral da famigerada reunião e que isso cause uma comoção pública capaz de varrer qualquer empecilho ao impeachment. É dispensável explicar as razões pelas quais ele quer que esse impeachment se realize.

      Maia, talvez já a prever o petardo que poderá explodir em suas mãos, acaba de pedir ao STF que afaste o dispositivo que o obriga a dar início aos procedimentos de impeachment. Ele alega que o mesmo é uma medida extrema e tenta se antecipar à tempestade midiática que vai escorar fortemente o impeachment.

      Não se sabe se Maia acredita que ainda seja possível que as coisas voltem a ter um mínimo de normalidade na governabilidade, e ao se negar a endossar o impeachment está apenas a tentar defender os gordos acordos de seu querido centrão com Bolsonaro. Outra hipótese é a de que não pretenda carregar sozinho um fardo de tamanho peso, já que ressalta que é decisão monocrática sua receber ou não os pedidos de afastamento. Se for compelido a tanto, talvez ele queira repartir com o Supremo parte da responsabilidade por girar a chave do impeachment.

  3. Oi Fernando

    É claro que o Bolsonaro cometeu um crime e, do mesmo tipo, já devia ter cometido anteriormente e o moro acobertou.
    Porém, como não vimos ainda a transcrição, e dando todo o benefício da dúvida que os dois, Bolsonaro e moro, não dão pra ninguém, entendo que pode haver uma saída aí pro Bolsonaro.
    Ele pode dizer que a PF estaria criando investigações persecutórias, de cunho político, para prejudicar os filhos. Restaria a pergunta “mas por que não denunciou?”. Ele pode dizer: “Mas informei ao ministro”.
    Ou seja, só está reunião pode não bastar e as anteriores o moro a elas não se refere pois aí ele se denunciaria como prevaricador.
    O termo usado pela mídia, “arrebatador”, parece- me, a princípio, uma precipitação. Lembremos do depoimento do moro sábado passado que tb seria arrebatador e depois vimos que não foi bem assim.

    São só ponderações pois convicto estou dos crimes dos dois, mas convicções somente não cabe no estado de direito e o Bolsonaro tem certeza disso, mesmo nunca tendo reconhecido isso nos adversários, e vai usar pra talvez se safar.

    Engraçado que esta teoria embute um dilema pro Bolsonaro, mas pro moro também. Ou seja, assumir que há inquéritos politicos!

  4. Só um idiota não sabe que antes de dois anos de mandato tem que ter eleições, alguém acha mesmo que os milicos vão deixar?

  5. O desvio de finalidade da motivação para a escolha do superintende (e do diretor e posteriormente do ministro ou vice-versa), gerou improbidade administrativa em cada um dos atos. Vários crimes de responsabilidade na sequência dos atos. Moro cometeu crime de prevaricação ao não representar ao PGR contra esses crimes do presidente que teve notícia, pois tinha obrigação de faze-lo.

  6. Nem lá nem cá, a rede golpe está dando uma tremenda cobertura para essa palhaçada, oras, tem assuntos mais urgentes e importantes além de muitas outras infrações que já poderiam ter afastado o lunatico quie se diz presidente….essa picuinha é para dar força ao marreco traira e nessa eu não embarco…….enquanto ficam nessa lenga lenga, terra indigenas est~]ao sendo entregues a invasores, dezenas de bilhões das reservas estão sendo torradas como se não houvesse amanhã, milhares brasileiros morrem pelo descaso do desgoverno miliciano e outros tantos estão abandonados á propria sorte…que se f…..ess reunião.

  7. Bolsonaro já fez e falou coisas bem piores nos cercadinhos e Twitters da vida… Moro, se quiser derrubá-lo terá que despejar logo a montanha de chorume que deve saber sobre “o coisa”, caso contrário será visto apenas como futriqueiro.
    Tô adorando essa briga entre vermes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *