A sexta-feira de Cinzas. Por Luís Costa Pinto

Thiago de Mello, com poesia, decretou que “todos os dias da semana, inclusive as terças-feiras mais cinzentas, têm direito a converter-se em manhãs de domingo”.

O destino, caprichoso, porém, transformou a sexta-feira numa quarta-feira cinzento, para muito além do céu tempestuoso que nos tem coberto.

O jornalista Luís Costa Pinto, no seu Facebook, com sabedoria, trouxe a trilha de música e esperança para este dia triste, justo com o povo alegre, como merece.

Esta sexta-feira de Carnaval se transformou, na alma da maioria dos brasileiros, numa tarde cinza daquelas que caem como um viaduto com o drama exposto de Lula e da família Silva.

A morte prematura do neto do ex-presidente já é em si uma tragédia, mas a sordidez inenarrável do vazamento da informação do óbito antes que todos os familiares soubessem da notícia, inclusive Lula, por parentes e pessoas de relaciomamento mais íntimo e próximo, confere ares de asquerosa vingança a essa trapaça do destino.

Lula nunca mereceu isso. Lula, seu neto, sua família, jamais merecerão o ódio e o recalque insano que uma minoria ruidosa e repugnante devota a eles.

A Marcha da Quarta-feira de Cinzas, na interpretação suave e doída de Vinícius, é a única trilha que vislumbro para esse triste entardecer. Mais triste pelo que diz do Brasil e dos brasieliros do que pelos ardis do viver e do morrer.

A letra, para quem não se lembra ou não conhecia:

Acabou nosso carnaval
Ninguém ouve cantar canções
Ninguém passa mais brincando feliz
E nos corações
Saudades e cinzas
foi o que restou
Pelas ruas o que se vê
É uma gente que nem se vê
Que nem se sorri
Se beija e se abraça
E sai caminhando
Dançando e cantando cantigas de amor
E no entanto é preciso cantar
Mais que nunca é preciso cantar
É preciso cantar e alegrar a cidade
A tristeza que a gente tem
Qualquer dia vai se acabar
Todos vão sorrir
Voltou a esperança
É o povo que dança
Contente da vida, feliz a cantar
Porque são tantas coisas azuis
E há

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

11 respostas

  1. A “elite” e sua mídia são os responsáveis pela transformação do brazil em uma república nazista.

  2. Pois eu compartilho,de muitas das opiniões expostas,na matéria.Contudo,gostaria de fazer uma ressalva.QUE POVINHO ,SEM VERGONHA,É O POVO BRASILEIRO.E não adianta botar a culpa,NA ELITE,pois essa,é culpada sempre.O pior,é o POVINHO DE MEIA TIGELA QUE TEMOS POR AQUI.Eles acham,que um dia,vão ficar ricos!

    1. Concordo com você. Um povo que assiste o que a elite está fazendo com Lula e NÃO SE MEXE, merece a chibata. Não estou sequer sugerindo revolução, convulsão, nada disso. Mas não ser capaz de realizar NENHUMA manifestação realmente grande, com no mínimo 200 mil pessoas na rua em defesa de Lula, é deplorável, melancólico.

    2. Concordo com você. Um povo que assiste o que a elite está fazendo com Lula e NÃO SE MEXE, merece a chibata. Não estou sequer sugerindo revolução, convulsão, nada disso. Mas não ser capaz de realizar NENHUMA manifestação realmente grande, com no mínimo 200 mil pessoas na rua em defesa de Lula, é deplorável, melancólico.

    3. O fascismo, a falta de caráter, a hipocrisia, o racismo, etc deste do zé povinho de merda teria ficado onde sempre esteve se a “elite” não o houvesse insuflado e legitimado para dar o golpe de 2016 que se consolidou com o golpe da eleição fraudulenta do Coiso. A “elite” e sua mídia poderiam ter papel de contenção e civilizatório, mas tomaram caminho oposto. Por isso coloco a culpa nesta “elite” de merda que temos.

    4. Um dia talvez, perceberão que a maior riqueza não vem do bolso. Ela vem do coração. E ai tombarão, desorientados e perplexos, com sua total incapacidade de amar o outro. Ao contrario, so espalham o ódio, gratuitamente.

  3. Saudades e cinzas de um Brasil que amei e de um povo que sabia brincar e sorrir. Sexta-feira de muita tristeza mesmo. Um dia esse ódio poderá passar e nos devolver a vontade do carnaval? espero que sim.

  4. Estamos perdendo o bom senso, humanidade, a solidariedade, tudo por causa de uma massificação de ódio a uma pessoa que só lutou pelo bem do país. É um sadismo doentio que sai das entranhas de uns seres desqualificados…

  5. Uma vingança asquerosa de alguém e de uma gente que lhes permitiram acumular riqueza e desfrutar de bem estar. Um recalque insano por causa de um regime que trouxe alegria à população de um país explorado historicamente. Não querem nossa alforria? Terão nossa indignação!

  6. E o jornalista canalha, e sua empresa inútil, não esperaram 1 segundo sequer para publicar a notícia. Calhorda maior não pode existir. De gente dessa espécie eu mantenho uma distância de, no mínimo, 1000 quilômetros. Ética? Esse indivíduo desconhece isso.

  7. Já percebi várias citações de Thiago de Mello ultimamente, além da sua, Brito. É sintomático que Thiago de Mello esteja de volta. Sua poesia é uma clava poderosa contra os tempos sombrios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.