É hoje só, amanhã não tem mais?

A pesquisa da CNI, divulgada na noite de quarta-feira, ilustra bem como, além de uma enorme crueldade, é de completa inutilidade a ânsia de parte do empresariado, com Bolsonaro à frente, para que tudo reabra e a economia volta “à normalidade”.

Não há e não haverá normalidade, nem mesmo quando passar o auge desta epidemia, que nem sequer sabemos quando será e, cada vez mais, tememos que esteja longe.

Pois a pesquisa mostra que nada menos de três quartos das pessoas pretende reduzir seus níveis de consumo nos meses que se seguirem ao reinício das atividades do comércio.

Seja por medo (ou já realidade) da perda do emprego, pela redução da renda, pelo risco de circular, não haverá recuperação para o mercado de consumo e, como reflexo, para a indústria e os serviços.

Todas as contas – quase um puro “chute” – que se fazem sobre a queda do PIB (há números para escolher à vontade, de 3 a 11 negativos) contam com um parcial reaquecimento no terceiro e no quarto trimestre e há muitas dúvidas já se isso ocorrerá.

Baixar taxas de juros oficiais e liberar recursos dos compulsórios para que os bancos emprestem e financiem algum respiros ao consumo e aos investimentos, que já não funcionava antes, não vai funcionar neste cenário. Aliás, perguntem a qualquer pequeno ou médio empresário se ele acha nos bancos algo parecido a juros baixos…

Mal e mal, com as criminosas filas que se formam à frente das agências da Caixa, ainda se sustenta o comércio de alimentos e de artigos domésticos com o auxílio. Daqui a um mês e meio, nem isso, pois o presidente já anunciou que não o renovará, ainda que reconheça que é isso que está evitando saques nas periferias.

Ainda assim, cultivam a ilusão de que bastará passar o pior e se retomará com sucesso a política fiscalista, à procura de um superavit impossível, de lendários investimentos estrangeiros, de uma contabilidade primária onde a saúde da “empresa Brasil” se mede pelas colunas em azul, enquanto ela se desmonta e vai ao chão.

Assim como se deu ao senhor Nélson Teich a macabra tarefa de contar os mortos, sem qualquer reação ao avanço do Covid-19, parece que se mantém o senhor Paulo Guedes na função de zumbi econômico, atualmente dedicado à missão de convencer os seus chefes militares de que os investimentos estrangeiros virão se transformarmos o país numa liquidação de porta de garagem.

Temos, infelizmente, um elite política e econômica que, apesar de tudo estar se desenhando diante dela – como ocorreu com esta avisada pandemia – está presa a ideias que, ruins antes, já não tem qualquer aplicabilidade na realidade recessiva que virá.

Só uma política de investimento estatal, somada a um programa permanente de preservação do emprego e da renda, lentamente, será capaz de nos tirar do longo desastre que temos à frente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. “Elite” econômica, Brito? Elite sugere liderança, inteligência, eficiência, merito. Se alguém encontrar uma dessas qualidades em Paulo Guedes, corto um braço fora.

    1. Elite econômica é o conjunto das pessoas que têm mais dinheiro.
      Não requer liderança, inteligência, eficiência ou mérito, apenas dinheiro.

  2. Ter dinheiro não faz de ninguém mais capaz e inteligente , esse dinheiro pode ter vindo sem esforço , uma herança , muitos crimes …

  3. Vende-se: Urgente, p/Orçamento 2021

    Estado de Roraima
    Fronteiras: norte Venezuela; sul Brasil; leste Guiana, Amapá/Brasil; oeste Venezuela, Amazonas/Brasil
    Área: 224.299 km²
    População: 605 761 hab. (pode ser despejada ou usada como mão-de-obra semi-escrava, a critério do comprador)
    Requisitos do comprador: Dá-se preferência: Sede em White House, Washington, DC, Tazuni
    Valor: US$ …. (a critério do comprador, bases de referência: Louisiana/Alaska)
    Opções de compra: Escambo com armas para o exército local de ocupação
    Comissão obrigatória: 10% srs. Ustra 00, Ustra 01, Ustra 02, Ustra 03 e/ou seus indicados (nomes de guerra)
    Tratar em: Palácio do Planalto, Brasília, Brasil – Terceiro Andar

    1. Pensei q fosse direto com o escritorio central em Rio das Ostras

      E eles aproveitam… Alcool gel q custava entre R$4,80 e R$7,90 dependendo da marca pedem agora R$15,00 (valor mais alto q vi).
      Acabou sulfite em casa cobraram 8 reais Chamequinho nas Americanas mas no supermercado q cobra 4,70 nao pode vender pq e no magazine no piso superior… E claro q outras mercadorias essenciais vao arrancar o couro p recuperar o “tempo perdido”…
      E os 600 reais virarao po em pouco tempo… Ja ouvi cara dizer q vai continuar com sua banca na feira depois de pegar os 600

  4. E onde anda,o CAPITALISMO? Já morreu ou esta apenas,agonizando?Tem condições de RESSUSCITAR,ou já entregou sua alma aos deuses?Ninguém mais fala nele,e acho,que nem ao velório vão,seus defensores.Ah!Já sei,os CHINESES O MATARAM.Ah!Esses chineses,são uns CAPITALISSINOS!

  5. ———-“Eu penso que nós vamos ter que radicalizar um pouco mais pra fazer a democracia funcionar. Acho que minha autocrítica é que fui republicano demais”, avalia Lula——- (Brasil 247).
    Ao contrário do que muitos petistas pensavam e defendiam por aquí,eis o Lula falando em radicalizar (CONFRONTAR).
    Parabéns Lula !!!!!,–melhor tarde do que nunca—–

  6. O que foi que fizemos (ou deixamos de fazer) para merecer tudo isso: Alem de um governo incopetente ainda uma familia sangue suga, congresso inepto, Judiciario medroso e para cobrir o bolo uma pandemia sem autoridade de saude com capacidade de gerenciar. E muito pra esse povo…,

  7. Agências da Caixa ? Ontem havia filas em TODAS as agências bancárias da praça Verdun no Grajaú. Acrescente-se filas em TODAS as farmácias.
    Mas o pior é que muita gente precisa sair mesmo. Pegar aposentadoria, benefício, comprar remédios controlados, etc.
    Eu era um deles, fazer o que com minha mãe na cama ? O único ponto positivo é que 99% estavam com máscara.

  8. Eles não vão aplicar a política de incentivo econômico, só pra não favorecer o pobre. Eles são perversos e querem o caos.

  9. É exatamente a ingenuidade dessa gente que impressiona. Ir a Bolsonaro pedir providências para evitar o colapso da economia? A Bolsonaro? O único pedido que deveriam fazer a ele é que saia, por favor, desocupe a cadeira, procure o beco, desinfete o quanto antes.

  10. É exatamente a ingenuidade dessa gente que impressiona. Ir a Bolsonaro pedir providências para evitar o colapso da economia? A Bolsonaro? O único pedido que deveriam fazer a ele é que saia, por favor, desocupe a cadeira, procure o beco, desinfete o quanto antes.

  11. O governo empresta trilhões aos Bancos a custo ( juros a quase zero), e eles (Bancos) oferecem aos pequeno e médio empresários) com carência de seis meses com garantia hipotecária do dobro ou triplo do valor emprestados a 8% ao ano.
    Eles (Bancos pegam o dinheiro do Governo trilhões) e com garantias (Hipotecárias) dupla ou tripla e sabendo que não irão nunca perder, pois se os pequenos e médios empresários pegarem o dinheiro e movimentarem e será na quase certeza nos próprios bancos que lhes emprestaram (dá com uma mão e tomam com a outra) Afinal estamos ou não numa “Economia de Guerra”? Cadê o Bco. do Brasil, Caixa Econômica e BNDES que não veem estes absurdos? Afinal o dinheiro ficará nos Bancos a mesma coisa pois movimentaremos e deixaremos quase a mesma quantia nos Bancos que nos emprestaram. Mas,o sistema Bancários são igual a gato com a boca cheias e rosnando. Com a palavra o Banco do Brasil e a Caixa Econômica e o BNDES!!

  12. A coisa está tá tão ruim e nebulosa que nós, donos de pequenas e médias empresas estamos temerosos de pegarmos dinheiro (mesmo com Juros barato) pois nós parece que o futuro é negro. Os próprios Bancos que pegam dinheiro a quase custo zero com o Bco. Central, nos exigem garantias hipotecárias de duplo e ou triplo do valor emprestado ganharão muito, pois como sabemos o tomador de empréstimo movimentará o dinheiro no próprio Banco. Os Bancos acostumaram ganhar muito e numa hora destas vão ter de abrir mãos de bilhões de lucro. Ou fazemos um PACTO ou vamos todo mundo pro ralo. Cadê o Bco do Brasil Caixa Econômica e BNDES que nada fazem. Estamos numa economia de guerra ou não???

  13. EMPRÉSTIMOS com juros subsidiado. A Caixa Econômica, Bco. do Brasil, BNDES que devem entrar no esquema, pois como sabemos nunca haverá prejuízo p/ receber, e criará fidelidade do cliente (pode ser estudado) com os mesmos , prejuízo não terão pois todo empréstimo terá garantias hipotecárias dupla ou tripla do valor emprestado. Então será a hora de sentar e conversar., mas sem burocracia, pois com esta situação ruim, ninguém tem paciência para enfrentar filas. Seria o caso da Caixa, Bco. do Brasil,e BNDES receberem as propostas de pedidos de empréstimos e estuda-los rapidamente. Se quiserem fazer um PACTO para que a economia volte aos poucos a normalidade, então teremos de sentar e conversar. O Bco. Central não está comprando as Carteiras de ativos até de empréstimos podres dos Bcos? E que muitos não serão pagos, pois não existe garantia nenhuma (hipotecárias por exemplo) Então chegou a hora de conversarmos. Do contrário vamos ficar esperando talvez uns dois anos paralisados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.