Queiroz quer “falar por escrito” ao MP para não se enrolar mais

De Thiago Prado na Época, agora que estamos na iminência de que o Ministro Marco Aurelio – nas suas próprias palavras – mande para o lixo a suspensão das investigações do cado Fabrício Queiroz-Flavio Bolsonaro, o assessor de R$ 7 milhões está buscando uma forma de evitar um depoimento que o incrimine mais diate do Ministério Público.

Como não poderá mais fugir do depoimento do MP em fevereiro, a ideia da defesa de Queiroz é apresentar uma peça por escrito detalhando as justificativas de seu cliente. Provavelmente a mulher e as filhas de Queiroz adotarão a mesma estratégia.

Ou seja, querem que seus advogados é que sejam interrogados, para que se tente uma “história plausível”.

O pior é que, segundo a revista, os promotores podem aceitar o pedido para “falar por escrito” da família Queiroz.

Um picareta destes, benemérito de milícia, é tratado com todas as deferências, vergonhosamente.

Um ex-presidente, com camburão.

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email